Depois de um longo período sem escrever e com uma perspectiva de melhoras para a profissão, venho hoje falar um pouco sobre o futuro da contabilidade, ou seja, a contabilidade digital. Para aqueles que não me conhecem meu nome é Carlos Alberto Ribeiro, sou sócio da Contabilidade Papyrus situada em Belo Horizonte, bacharel em Ciências Contábeis pela PUC – Minas, pós-graduado em Auditoria Externa pela UFMG e com mestrado em Administração pelo Centro Universitário UNA.

Depois de passarmos por um período de evolução da profissão, onde a contabilidade saiu de um modelo manual para um modelo eletrônico, iniciamos uma nova mudança, a entrada na era digital.

Nos últimos tempos estamos vendo muitas contabilidades online, onde é oferecido um serviço muito genérico, sem um trabalho consultivo, porém com um custo baixo. Esse modelo de negocio atinge um público que não espera receber informações para a tomada de decisão, e sim cumprir com suas obrigações junto ao governo. Diferentemente da contabilidade online, hoje vamos falar sobre a contabilidade digital.

A contabilidade digital é a mudança do trabalho manual por ferramentas digitais que facilitam a integração de dados, reduzindo o trabalho mecânico e aumentando o trabalho consultivo. A contabilidade digital já está presente em várias empresas contábeis, e a sua utilização não é luxo e sim motivo de sobrevivência em um mercado cada vez mais competitivo.

Em um modelo de contabilidade digital, extratos em papel passam a dar lugar a extratos no modelo OFX, o contas a pagar e a receber deixa de ser digitado novamente e passa a ser importados do sistema financeiro que a empresa utiliza, notas fiscais deixam de ser digitadas e passam a ser importadas por arquivo ou por sistemas em nuvem, ao qual já fazem a busca direto pelo órgão emitente da nota, folha de pagamento deixa de ser digitada pela contabilidade e passa a ser informada pela empresa por sistemas que podem ser integrados.

Essa mudança no formato de fazer contabilidade, traz um grande benefício ao profissional contábil, o trabalho que antes era manual e com um delay de tempo, passa a ser instantâneo, as informações deixam de ser meramente uma exigência fiscal e se tornam ferramentas para a tomada de decisão. Assim, o contador que antes era visto como um emissor de guias, passa a ter um papel gerencial, e as contabilidades que antes eram vistas como apenas uma exigência legal, passam a fazer parte da administração da empresa.

Em um mundo onde a tecnologia já faz parte do aprendizado do jovem, as novas gerações já exigem a contabilidade digital, e em poucos anos não teremos mais a contabilidade manual, só ficarão no mercado aqueles que se adaptarem a contabilidade digital.

Carlos Alberto Ribeiro Oliveira Pinto Junior

Carlos Alberto Ribeiro Oliveira Pinto Junior

Sócio da Contabilidade Papyrus

Atendimento Online via WhatsApp
Iniciar conversa